Controle-Patrimonial

O ativo imobilizado de uma empresa compreende uma série de bens pertencentes às empresas que são utilizados para produção, fornecimento de mercadorias ou serviços. Por serem parte necessária da operação, é necessário que os gestores façam o controle patrimonial desses ativos regularmente.

De forma sucinta, os ativos imobilizados de uma empresa são tudo aquilo que gera caixa para a entidade, não importando a maneira como esse caixa é gerado. Ou seja, uma máquina usada para locação a terceiros é um ativo da mesma forma que o computador de um diretor administrativo também é, pois permite ao mesmo trabalhar e auxiliar na operação interna da empresa.

O que é o controle patrimonial e porque as empresas devem fazer a gestão de patrimônio?

O sistema de gestão patrimonial de uma empresa é um panorama patrimonial da empresa e pode fornecer relatórios muito estratégicos para os gestores e para a contabilidade. A seguir, falarei sobre algumas das vantagens de se possuir o controle de bens patrimoniais em uma empresa:

  • Definição do custo do produto ou serviço: É muito comum que os gestores não aloquem a parcela de depreciação de Controle-Patrimonialmáquinas/equipamentos correspondentes à produção do serviço/produto, contabilizando errado o custo final dos mesmos.
  • Taxa de quebras e obsolescência: Possuir um relatório sobre as taxas de quebras, tempo de manutenção dos aparelhos usados, qual a periodicidade de obsolescência de um determinado ativo, etc, é extremamente estratégico para os gestores na hora de planejar o fluxo de caixa da empresa por um determinado período. Isso porque, ao possuir uma média desses valores, é possível planejar melhor os gastos relacionados à cada equipamento, sem “sustos” ao longo do ano.
  • Obter o valor patrimonial da empresa para eventuais negociações pelo valor contábil: Quando uma empresa é envolvida em uma operação de fusão, aquisição, venda ou compra ela deve ser avaliada por meio de um relatório denominado Valuation. Dentre os métodos de avaliação, um dos mais utilizados como parâmetro para negociações é o método chamado Valor Patrimonial, que avalia a empresa com base no seu valor patrimonial contábil. Se você quiser saber quanto vale a sua empresa e entender como funciona essa avaliação, clique aqui.
  • Amenizar os furtos e desvios de bens da empresa, otimizando os processos de compras: Ao fazer o controle de patrimônio de uma empresa, a movimentação de ativos fica restringida e os furtos menos recorrentes. Isso porque, quando a empresa mostra ter um rígido controle sobre seu patrimônio, os responsáveis de cada setor ficam mais atentos e, dessa forma, cria-se uma cultura de cuidado com os bens.

Quais são as 5 etapas para um controle de patrimônio eficiente?

O controle patrimonial completo é composto por diversas etapas. São elas: Inventário, Emplaquetamento dos bens, Conciliação físico-contábil, avaliação dos ativos, revisão de vidas úteis, obtenção das novas taxas de depreciação. Entenda rapidamente como é feito o processo assistindo o vídeo abaixo:

1- Inventário: A primeira parte do trabalho é realizar a vistoria dos ativos e constatação do estado de conservação dos bens. Nessa etapa também é feito um questionário sobre regime de manutenção e tempo de uso do equipamento.  Se você quiser saber mais sobre e etapa do Inventário, acesse nosso texto sobre o assunto e entenda como ele deve ser feito e quais os benefícios de se fazê-lo.

2- Avaliação dos ativos: Nessa etapa acontece a avaliação a valor justo dos ativos, segundo orientações do CPC 46. Caso queira saber mais sobre a avaliação a valor justo, fizemos um artigo explicando o CPC 46 e a mensuração do valor justo, sua contabilização e como deve ser determinado. A partir do valor justo, é calculado também o valor residual, que é o valor que a empresa espera receber ao final da vida útil econômica do ativo, e o custo de reposição.

3- Revisão das vidas úteis do imobilizado: A vida útil econômica de um ativo é a vida útil em que a empresa espera receber benefícios controle-patrimonialeconômicos do ativo. Ela pode variar dependendo da sua utilização na operação da companhia. É necessário revisar as vidas úteis para contabilizar a depreciação, amortização e obsolescência do ativo. Se quiser entender mais profundamente sobre essa parte do processo de gestão patrimonial, clique aqui.

4- Determinação das novas taxas de depreciação: A partir do valor residual e do valor justo, é calculado o valor depreciado. Com o resultado encontrado para o valor depreciado, é feito uma diluição ao longo da vida útil remanescente e é encontrada a depreciação anual do ativo.

5 – Teste do Impairment: Nessa etapa aplica-se o teste de recuperabilidade dos ativos, que verifica se os ativos estão desvalorizados, ou seja, se o valor contábil excede o valor recuperável. Leia mais sobre o Teste do Impairment, clicando aqui.

Cuidados na hora de fazer a gestão patrimonial da sua empresa

Laudos de acordo com a legislação vigente e as boas práticas do mercado

É importante que os gestores exijam que os laudos de controle de bens patrimoniais estejam elaborados em conformidade com a Lei 11.638/07 e de acordo com as normas técnicas emitidas pela ABNT/IBAPE – NBR-14.653.

Profissionais qualificados

É necessário que a empresa que irá fazer o controle do patrimônio da sua empresa possua uma equipe técnica experiente para avaliar os ativos da sua empresa. É importante lembrar que esse relatório pode impactar nos resultados financeiros da sua empresa, por isso, exija profissionais qualificados e experientes.

Agora que você já sabe como fazer, porque fazer e quais cuidados você deve ter na hora de escolher qual prestador de serviço que irá fazer o controle patrimonial da sua empresa, entre em contato conosco e solicite um orçamento sem compromisso clicando aqui! A Investor possui uma equipe técnica capacitada e experiente, que atua em todo o Brasil, para atender melhor você e a sua empresa.

Conteúdos RelacionadosPlanilha de Controle Patrimonial

– Teste de Impairment: conceito, regras e metodologias

– Valor Justo – CPC 46: O que é, quais as partes mais importantes e como é contabilizado

– Propriedade para Investimento: conceito, exemplos e a diferença em relação ao Ativo Imobilizado

– Inventário Patrimonial: como fazer e os benefícios dessa relatório

– Planilha de Controle Patrimonial Gratuita!