classificação de ativos

Os ativos de uma empresa são essenciais para a geração de caixa e lucro em diferentes âmbitos para uma organização. Muitas pessoas acreditam que esses ativos são semelhantes em suas características, mas entender sua distinção é muito importante para o sucesso financeiro de uma empresa.

Nesse artigo vamos explicar qual a definição para uma ativo e suas diversas classificações: Ativo Circulante, Ativo Não Circulante, Ativo Realizável a Longo Prazo, Investimento, Imobilizado e Ativo Intangível.

 

classificação de ativosO que são os ativos?

Ativos são os bens e direitos que uma empresa possui e que podem ser convertidos em meios monetários. Por bens conhecemos o dinheiro em caixa, móveis e imóveis, maquinários, estoque de mercadoria; por direitos, conhecemos as dívidas a receber.

Os ativos fazem parte das Contas Patrimoniais, sendo encontrados no lado positivo da posição patrimonial. Estes são classificadas em ordem decrescente do grau de liquidez, ou seja, daqueles que podem ser convertidos mais rapidamente em meios monetários para aqueles que podem ser convertidos menos rapidamente.

Além de o ativo ser propriedade de uma organização e ser mensurável monetariamente, para reconhecê-lo, é necessário identificar duas atividades em sua essência: serem resultados de transações passadas e gerar futuro benefício econômico.

Um ativo precisa ser resultado de uma transação passada, ou seja, esse ativo foi adquirido, na maioria dos casos, por meio de uma compra ou pela sua produção. Existem outros casos em que há transação, mas não necessariamente por meio de uma compra ou produção, como é o caso do recebimento de doações.

Um ativo deve também prover benefício econômico, isso significa que este deve gerar potencial para contribuir, direta ou indiretamente, para o fluxo de caixa de uma empresa. Para que esses ativos gerem riqueza para uma empresa, existem atividades relacionadas a estes que são capazes de prover tais benefícios, como uso na produção de bens ou serviços, troca por outros ativos, uso para redução de um passivo ou distribuídos aos proprietários da organização.

 

Ativo Circulante

Os Ativos Circulantes são aqueles que possuem maior liquidez, ou seja, são os ativos que podem ser convertidos em meios monetários mais rapidamente.

Podem ser dinheiro em caixa, conta movimento em banco, aplicações financeiras, contas a receber, estoques, produtos inacabados, despesas antecipadas, reservas de caixa, depósito bancário, mercadorias, matérias primas, investimentos de curto prazo e títulos.

Para ser caracterizado como ativo circulante, é necessário seguir os seguintes critérios: a conversão em meio monetário deve ser realizada até 12 meses após a data do balanço ou ao longo do ciclo operacional da empresa; tenha como propósito ser negociado; e que seja caixa ou equivalente de caixa.

 

Ativo Não Circulante

Os Ativos não Circulantes são aqueles de permanência duradoura em uma empresa, sendo responsáveis pelo funcionamento normal da organização. Eles permanecem em uma entidade além do tempo de exercício social, já que sua liquidez é menor, ou seja, demoram mais tempo para serem monetizados.

O ativo não circulante pode ser dividido em 4 grupos: Realizável a Longo Prazo, Investimentos, Imobilizado e Intangível. Cada um deles será explicado mais detalhadamente a seguir.

 

Ativo Realizável a Longo Prazo

Como o próprio nome já diz, os Ativos Realizáveis a Longo Prazo são referentes aos bens e direitos da empresa cujas realizações se darão no longo prazo, ou seja, após o término do exercício social.

Além desse fator, as contas de direitos sem prazo de vencimento também fazem parte do grupo de ativos realizáveis a longo prazo, pois na contabilidade, quando não há determinação do tempo de vencimento significa ser de longo prazo.

São exemplos deste tipo de ativo: aplicações financeiras de longo prazo, depósitos bancários a longo prazo, duplicatas a receber de longo prazo, despesas antecipadas de longo prazo, empréstimos, adiantamentos ou vendas, empréstimo compulsório, entre outros.

 

Investimentosclassificação de ativos

Os Investimentos como subgrupo do ativo não circulante se classificam como participações e aplicações societárias permanentes, e têm como objetivo gerar rendimento para a empresa, desde que esses bens e direitos não se destinem à manutenção das atividades de uma organização.

Os exemplos desse subgrupo podem ser definidos como: obras de arte, investimento em ouro, propriedades para investimento, terrenos e imóveis para futura utilização, investimentos em coligadas, participações em outras empresas, entre outros.

 

Imobilizados

Os Ativos Imobilizados são os bens e direitos de natureza permanente responsáveis pela manutenção das atividades normais de uma empresa. Eles são bens corpóreos, ou seja, bens tangíveis.

Existem quatro requisitos para se definir um ativo como imobilizado: ser mantido por uma organização para uso na produção ou comercialização de mercadorias ou serviços, para locação, ou para finalidades administrativas; ser usado por mais de doze meses; gerar benefícios econômicos para a organização; e ser possível de ser mensurado,

São exemplos de Ativos Imobilizados: imóveis, terrenos, edificações, máquinas e equipamentos, móveis e utensílios, veículos, ferramentas, entre outros.

 

Intangível

Ativos Intangíveis são bens incorpóreos, ou seja, que não são capazes de serem vistos ou tocados, que não têm existência física. Estes são destinados à manutenção das atividades de uma empresa ou exercidos com essa finalidade.

Apesar de não possuírem caráter físico, os ativos intangíveis têm valor econômico e contábil. Um Ativo Intangível só é reconhecido contabilmente se os benefícios que este gerar futuramente sejam em favor da organização, e se for possível mensurar o custo do ativo.

São exemplos de Ativos Intangíveis: softwares, fundo de comércio adquirido, marcas, patentes, direitos de exploração de serviços públicos, licenças, direitos autorais, entre outros.

 

Reconhecer e classificar um ativo pode ser uma tarefa complicada e que exige profissionais competentes que saibam as características e exigências contábeis e fiscais para cada ativo.

A Investor é uma consultoria especializada em avaliações que conta com um grupo de profissionais experientes e com conhecimentos profundos na área contábil, e que pode garantir a devida classificação dos ativos, sua correta demonstração contábil, além de realizar avaliação patrimonial, avaliação imobiliária e calcular o valor da sua empresa.

Solicite um orçamento!

 

Conteúdos Relacionados:

Ativo intangível: o que é e como avaliá-lo

Ativo imobilizado: o que é, contabilização e exemplos

Controle do ativo imobilizado: como é feito e sua importância

Avaliação Patrimonial: o que é, como fazer e qual a sua finalidade

Métodos de Valuation: 3 maneiras de calcular o valor da sua empresa