o que é controle patromonial

Você sabe o que é controle patrimonial e como ele afeta o planejamento orçamentário de uma empresa?

É importante, que antes de tudo, você compreenda que negligenciar o controle de patrimônio da sua empresa, pode trazer consequências negativas em seus resultados.

Fazer um controle de patrimônio de forma correta e realizar uma gestão patrimonial periodicamente, possibilita à empresa:

Uma situação que nos deparamos com certa frequência são os “imprevistos”, quase sempre de cunho financeiro e operacional, que empresas e gestores de variados setores da economia, têm que lidar.

Entretanto, a compreensão do que é controle patrimonial, nos leva a afirmar que, algumas dessas despesas “inesperadas” decorrem da não realização de um controle de patrimônio.

O que é controle patrimonial?

O controle patrimonial pode ser entendido como a gestão – ou gerenciamento – de todo o patrimônio de uma empresa.

O controle de patrimônio engloba o acompanhamento, desde os ativos tangíveis – como imóveis, dinheiro em caixa, estoque, investimentos e mais – quanto os ativos intangíveis do negócio – como o valor da sua empresa ou marca, softwares, direitos autorais, licenças entre outros.

Relembrando, os ativos de uma organização são os bens e direitos que um negócio possui e que podem ser convertidos em meios monetários.

Leia também: Classificação de ativos de uma empresa.

O controle do ativo imobilizado de um negócio, compreende uma série de bens pertencentes às empresas e são utilizados para:

  • produção;
  • fornecimento de mercadorias;
  • serviços.

Por serem parte necessária da operação, é necessário que os gestores entendam o que é controle patrimonial e realizem a gestão desses ativos, regularmente.

O controle de patrimônio pode prevenir complicações para o fluxo de caixa da empresa e para o seu ciclo produtivo. Entre as possibilidades de gestão estão:

  • saber se um equipamento está se depreciando de forma mais rápida que o normal, devido à realização de inadequada manutenção;
  • analisar se os ativos estão sendo utilizados no nível adequado de capacidade produtiva;
  • identificar se existem ativos sem condições de uso que, contabilmente e gerencialmente, constam com vida útil econômica ativa; bem como avaliar outros itens que normalmente são checados em uma gestão patrimonial.

Resumindo, os ativos imobilizados de uma empresa são tudo aquilo que gera caixa para a entidade, não importando a maneira como esse caixa é gerado.

Ou seja, uma máquina locada a terceiros é um ativo, da mesma forma que o computador de um diretor administrativo também é, pois, permite que ele trabalhe e auxilie na operação interna da empresa.

Porque as empresas devem fazer a gestão de patrimônio?

O sistema de controle patrimonial de uma empresa pode fornecer relatórios muito estratégicos para os gestores e para a contabilidade.

A seguir, falarei sobre algumas das vantagens de entender o que é controle patrimonial e realizar a gestão de bens patrimoniais em uma empresa:

Definição do custo do produto ou serviço

É muito comum que os gestores não incluam a parcela de depreciação de máquinas e equipamentos correspondentes à produção do produto ou realização do serviço, contabilizando errado o custo final dos mesmos.

Realizar uma projeção de caixa real e reduzir taxa de quebras e obsolescência

Possuir um relatório sobre as taxas de quebras, tempo de manutenção dos aparelhos usados, a periodicidade de obsolescência de um determinado ativo, etc, é extremamente estratégico para os gestores na hora de realizar a projeção de fluxo de caixa da empresa.

Isso porque, ao possuir uma média desses valores, é possível planejar melhor os gastos relacionados à cada equipamento, sem “sustos” ao longo do ano.

Obter o valor patrimonial da empresa para eventuais negociações pelo valor contábil

Quando uma empresa é envolvida em uma operação de fusão, aquisição, venda ou compra ela deve ser avaliada por meio de um relatório denominado Valuation.

Dentre os métodos de avaliação, um dos mais utilizados como parâmetro para negociações é o método chamado Valor Patrimonial. Ele avalia a empresa com base no seu valor patrimonial contábil.

Aprofunde-se no assunto e descubra quanto vale a sua empresa, com o artigo; Métodos de Valuation: 3 maneiras de calcular o valor da sua empresa”.

Amenizar os furtos e desvios de bens da empresa, otimizando os processos de compras

Ao fazer o controle de patrimônio de uma empresa, a movimentação de ativos fica restringida e os furtos são menos recorrentes. Isso porque, quando a empresa mostra ter um rígido controle sobre seu patrimônio, os responsáveis de cada setor ficam mais atentos e, dessa forma, cria-se uma cultura organizacional de cuidado com os bens.

5 etapas para um controle de patrimônio eficiente

Agora que você compreendeu o que é controle patrimonial e conheceu algumas das vantagens de aplicá-lo em sua organização, é hora de conhecer as etapas necessárias para colocá-lo em prática.

O controle patrimonial completo é composto por 5 etapas. São elas:

  • inventário patrimonial;
  • avaliação dos ativos;
  • revisão das vidas úteis;
  • determinação da nova taxa de depreciação dos ativos;
  • teste do Impairment.

Entenda rapidamente como é feito o processo assistindo o vídeo abaixo:

<iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/y7FJ8aAOpC4″ frameborder=”0″ allow=”accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture” allowfullscreen></iframe>

1. Inventário

A primeira parte do controle de patrimônio é realizar uma vistoria dos ativos e constatar o estado de conservação dos bens.

Neste momento também é feito um questionário sobre regime de manutenção e tempo de uso do equipamento.

Para saber mais sobre esta etapa, sugerimos que acesse o artigo exclusivo; Inventário Patrimonial: o que é, como fazer e os benefícios desse relatório” e entenda como ele deve ser feito e quais os seus benefícios.

2. Avaliação dos ativos

Na avaliação dos ativos é realizada a avaliação do valor justo dos ativos, segundo orientações do CPC 46.

A partir do valor justo, é calculado também o valor residual, que é o valor que a empresa espera receber ao final da vida útil econômica do ativo, e o custo de reposição.

Leia mais em: Valor justo – CPC 46: o que é, como é contabilizado e aplicações.

3. Revisão da vida útil do imobilizado

No início da nossa explicação sobre o que é controle patrimonial chegamos a citar a análise da vida útil econômica de um ativo.

Ela é a vida útil em que a empresa espera receber benefícios econômicos do ativo. Pode variar dependendo da utilização do mesmo na operação da companhia.

É necessário revisar as vidas úteis para contabilizar a:

  • depreciação;
  • amortização;
  • obsolescência do ativo.

4. Determinação das novas taxas de depreciação

A partir do valor residual e do valor justo, é calculado o valor depreciado. Com o resultado encontrado, é feito uma diluição ao longo da vida útil remanescente e é encontrada a depreciação anual do ativo.

5. Teste do Impairment

Nessa etapa do controle de patrimônio aplica-se o teste de recuperabilidade dos ativos. Ele verifica se os ativos estão desvalorizados, ou seja, se o valor contábil excede o valor recuperável.

Leia mais: Teste de Impairment: conceito, regras e metodologias

Como o controle de patrimônio em uma empresa influencia na gestão orçamentária e no seu resultado?

Um fator muito negligenciado nas empresas é a análise da vida útil econômica de um determinado ativo.

Quando o controle patrimonial é realizado de maneira correta, a vida útil econômica remanescente de um ativo é determinada, possibilitando ao administrador planejar a compra com antecedência de um ativo semelhante.

Essa previsibilidade possibilita ao gestor:

  • fazer uma melhor pesquisa de preços antes de realizar a aquisição;
  • obter prazos melhores para pagamento;
  • evitar uma despesa inesperada;
  • evitar a interrupção da produção e transtornos junto a clientes.

Outras vantagens podem ser observadas no âmbito do planejamento orçamentário, pois, compreender como um determinado ativo vem sendo utilizado pela empresa e se as taxas de depreciação estão acima daquelas pré-estabelecidas pelo fabricante, podem acarretar alguns questionamentos, como:

  1. O equipamento ou maquinário está sendo utilizado em conformidade com o prescrito no manual do fabricante?
  2. São feitas manutenções regulares e de acordo com o manual do equipamento e maquinário?
  3. Os funcionários estão tendo pouco zelo com os ativos da empresa?
  4. Estão ocorrendo furtos?
  5. Meu patrimônio está em um lugar adequado? Ele está sujeito à quais efeitos externos?

Com essa análise, o administrador pode tomar as medidas necessárias para que a empresa obtenha, de fato, o retorno esperado sobre seu patrimônio e, consequentemente, otimize o seu processo de compras, tirando os gastos desnecessários do orçamento.

Um ponto de atenção, que pode influenciar negativamente no resultado de uma empresa, é o reconhecimento de depreciação de ativos que não constam mais em seu patrimônio.

Ou seja, a empresa que tem seu patrimônio desorganizado, não é capaz de realizar a baixa contábil dos ativos que não constam mais em sua base patrimonial, seja por furtos, roubos, incêndios ou obsolescência.

Dessa forma, acaba registrando-os em suas despesas no Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE), interferindo assim nos seus resultados e prejudicando seu desempenho.

Cuidados na hora de fazer o controle patrimonial da sua empresa

Laudos de acordo com a legislação vigente e as boas práticas do mercado

É importante que os gestores exijam que os laudos de controle de bens patrimoniais estejam elaborados em conformidade com a Lei 11.638/07 e de acordo com as normas técnicas emitidas pela ABNT/IBAPE – NBR-14.653.

Profissionais qualificados

É necessário que a empresa que irá fazer o controle do patrimônio do seu negócio possua uma equipe técnica experiente para avaliar os ativos da sua empresa.

Lembre-se, que esse relatório pode impactar nos resultados financeiros do seu negócio, por isso, exija profissionais qualificados e experientes.

Agora que você já sabe o que é controle patrimonial, porque fazer e suas vantagens, pode utilizar a nossa Planilha de Controle Patrimonial. Uma ferramenta que permite fazer a gestão dos seus ativos imobilizados em 3 etapas, em uma planilha automatizada no Excel.

É importante ter atenção na hora de escolher qual prestador de serviço que irá fazer o controle patrimonial da sua empresa.

A Investor é uma consultoria em avaliação patrimonial de empresas. Somos especializados em gestão do ativo imobilizado. Possuímos uma equipe técnica capacitada e experiente, que atua em todo o Brasil, para atender melhor você e a sua empresa.

Entre nossos serviços para sua empresa, você encontra:

  • inventário patrimonial, avaliação de ativos fixos, revisão das vidas úteis e Teste de Impairment.
  • laudos técnicos de Valuation, Alocação do Preço de Compra – PPA, Laudos Contábeis e outros.
  • assessoria financeira em M&A – Fusões e Aquisições – podendo envolver diversas operações societárias.
  • laudos técnicos de avaliações técnicas imobiliárias, relacionados a imóveis urbanos, rurais e empreendimentos.

Entre em contato conosco e solicite um orçamento!