Foto de um Balanço Patrimonial e uma lupa

O Balanço Patrimonial ou Contábil é uma das ferramentas mais importantes para analisar a saúde financeira de uma empresa durante um determinado período, mostrando como está de fato seu patrimônio.

Apesar de ser uma demonstração anual obrigatória para todas as empresas brasileiras, exceto para Microempreendedores Individuais (MEI) a não ser que queiram participar de licitações, muitos empreendedores ainda têm dificuldades para construí-lo e analisá-lo.

Pensando nisso, nós desenvolvemos esse artigo com tudo que você precisa saber sobre o Balanço Patrimonial. Boa leitura!

O que é Balanço Patrimonial?

Balanço Patrimonial é um relatório contábil que tem como finalidade demonstrar, quantitativa e qualitativamente, a posição patrimonial e financeira de uma empresa em um determinado período. Isto é, mediante a apresentação do balanço, é possível saber quais são e quanto valem os bens, direitos e obrigações da empresa em determinado momento.

Seu nome remete ao princípio contábil da igualdade, uma vez que bens e direitos devem possuir o mesmo valor das obrigações de uma empresa. Em outras palavras, o ativo da empresa deve possuir o mesmo valor da soma de seu passivo e seu patrimônio líquido. Se isso não for atingido, ocorreram erros durante a sua elaboração.

Ilustração de uma balança em que ao lado esquerdo estão representados os ativos e do lado direito os passivos e o patrimônio líquido como forma de representar o Balanço Patrimonial

Cabe ressaltar que o Balanço Patrimonial é estático e funciona como uma fotografia do momento em que a organização se encontra. Por não ser evolutivo, é fundamental que este seja construído com certa frequência.

Geralmente é realizado sobre o período de um ano para atender sua obrigatoriedade, podendo ser feito com maior frequência para fins gerenciais.

O relatório é gerado após o registro diário de todas as movimentações financeiras do período em questão. É esse registro que comprova os fatos contábeis que fundamentam o Balanço.

Além disso, é fundamental auditar cada área da empresa, levantando e conferindo todos os ativos e passivos da organização.

Agora que você já sabe o que é o Balanço Patrimonial, hora de compreender sua importância.

Por quê elaborar o Balanço Patrimonial?

Como vimos anteriormente, a função primordial do Balanço é gerar informações para as partes interessadas da empresa a respeito da situação patrimonial e financeira da empresa.

Por ter sua estrutura dividida em grupos, como veremos posteriormente, o demonstrativo permite transmitir essas informações de forma clara e organizada em prol de tornar o processo decisório mais assertivo.

Basicamente, com o Balanço em mãos é possível:

  • Conhecer todos os bens, direitos e obrigações da empresa em determinado momento;
  • Entender qual a origem (lado direito do balanço) e o destino (lado esquerdo) dos recursos;
  • Avaliar seu desempenho;
  • Visualizar sua evolução;
  • Fornecer informações para embasar processos decisórios e de planejamento dentro da organização.

Além disso, vimos também a respeito de sua obrigatoriedade conforme as normas do Conselho Federal da Contabilidade (CFC) e o artigo 1.179 do Código Civil. Por isso, se a empresa não elaborar o Balanço Patrimonial, fica impossibilitada de usar informações para defesa de processos tributários, não pode pedir recuperação judicial, entre outros.

Saiba também sobre o que é e como montar a DRE.

Estrutura do Balanço Patrimonial

O Balanço Patrimonial é constituído por três grandes grupos e os valores são agregados em contas para facilitar o conhecimento, a leitura e a análise da situação financeira. Os grupos são:

  • Ativo: representa tudo aquilo que a empresa possui, ou seja, seus bens e direitos que podem gerar benefícios econômicos no futuro. Bens representam tudo aquilo que a empresa possui e que estão em seu poder no momento, por exemplo, máquinas compradas. Direitos são os ativos que a empresa possui, mas não estão no seu poder, por exemplo, contas a receber de clientes que compraram um produto a prazo na sua empresa. Encontra-se no lado esquerdo da demonstração.
  • Passivo: representa as dívidas e obrigações financeiras que a empresa possui com terceiros (outras empresas, governo e funcionários), ou seja, os bens de terceiros que estão em poder da empresa. Exemplos seriam valores a pagar a fornecedores e salários dos funcionários.  Encontra-se no lado direito da demonstração.
  • Patrimônio Líquido: é a diferença entre ativos e passivos e representa as obrigações para com a empresa, ou seja, o que a empresa possui de recursos próprios. O ideal e saudável para as organizações é que os ativos sejam sempre maiores que os passivos e que este elemento cresça a cada novo balanço. Encontra-se no lado direito da demonstração.

Cabe ressaltar que a ordem que os ativos, passivos e patrimônio líquido aparecem segue uma lógica. Em relação aos ativos, as primeiras contas que aparecem são aquelas mais líquidas, ou seja, as que se transformam mais rapidamente em dinheiro. Já os passivos e o patrimônio líquido são ordenados conforme sua exigibilidade, ou seja, conforme o prazo para pagamento, sendo as de menor prazo as que aparecem primeiro.

Ativos

Os ativos são separados em ativo circulante e não circulante e em ordem decrescente de liquidez.

O ativo circulante corresponde aos direitos que a empresa possui e que podem ser transformados em dinheiro em menos de um ano (maior liquidez). São exemplos de contas circulantes: caixa, bancos e aplicações financeiras de curto prazo, contas a receber de clientes e estoques. Isto porque o dinheiro em caixa já está em espécie, o que está nos bancos pode ser sacado com facilidade, as contas a receber de clientes dificilmente extrapolam o prazo de um ano e os estoques também, geralmente, são vendidos em um prazo inferior ao ano.

O ativo não circulante corresponde aos bens e direitos que podem ser transformados em dinheiro em um período superior a um ano (menor liquidez). São exemplos de contas não circulantes: ativos realizáveis no longo prazo, imobilizados, investimento e intangíveis.

Para saber mais sobre a Classificação dos Ativos, clique aqui.

Passivos

Da mesma forma que os ativos, os passivos são divididos em circulante e não circulante, porém em ordem decrescente de exigibilidade.

O passivo circulante representa as obrigações da empresa com vencimento em um prazo inferior a um ano. São exemplos: fornecedores, salários, aluguel, empréstimos, impostos, entre outros.

O passivo não circulante representa as obrigações com vencimento em um prazo superior a um ano. Um exemplo seria empréstimo de longo prazo.

Patrimônio Líquido

A diferença entre passivo e patrimônio líquido é que este último não é exigível, pois representa a dívida da empresa perante as pessoas que a compõem. Os passivos são formados por capital de terceiros e o patrimônio líquido por capital próprio.

É formado pelo capital social subscrito pelos sócios e acionistas, pelas reservas de capital, pelos ajustes de avaliação patrimonial, pelas reservas de lucros, pelas ações em tesouraria e pelos prejuízos acumulados.

Tabela representativa do Balanço Patrimonial distribuído em Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido

Indicamos fortemente a leitura do artigo Exemplos de Indicadores Financeiros que todo gestor precisa conhecer para que você possa ter métricas e parâmetros a serem calculados com os dados do balanço e, assim, acompanhar o desempenho de sua organização, como também, gerenciar de forma mais eficiente.

Gostou? Conte-nos sua opinião nos comentários ou clique aqui para entrar em contato!

 

Conteúdos Relacionados:

Classificação de ativos de uma empresa

Ativo Imobilizado: o que é, contabilização e exemplos

O que é ativo intangível e como avaliá-lo corretamente

O que é a DRE e como montar?

 

 

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *