CEO, CFO e COO conversando sobre a empresa

CEO, CFO e COO são todos cargos de diretoria, logo, de extrema importância dentro de uma organização. O C-Level é o termo utilizado para designar coletivamente os executivos que ocupam os níveis hierárquicos mais altos na empresa. A letra C, que antecede todas as siglas, a representação de Chief (em português, chefe), a letra O, que finaliza as siglas, a representação de Officer e a letra do meio designa a área de atuação.

Empresas menores não necessariamente possuem um profissional para cada função, mas a junção de mais de um cargo na mesma pessoa. Você sabe o que cada sigla dessas representa e como estes profissionais atuam na empresa? Continue com a leitura do artigo para entender.

CEOCEO na frente dos demais diretores (CFO e COO)

A sigla, talvez a mais conhecida, significa Chief Executive Officer, ou seja, Diretor Executivo ou Diretor Geral. Este ocupa o nível hierárquico mais alto da organização, sendo então a autoridade máxima da empresa e o responsável pelas decisões estratégicas da mesma que a afetam a médio e longo prazo. Seu cargo possui altíssimo nível de poder e autonomia, como também altíssima competência frente às necessidades do negócio.

Sua função é estratégica tanto em empresas menores como em grandes empresas. Porém em empresas de pequeno porte, o profissional está envolvido no planejamento estratégico, mas também em outros níveis que necessitem que ele tome decisões. Já nas empresas de grande porte, seu papel é unicamente estratégico e focado no crescimento da empresa.

É de sua responsabilidade, não só o planejamento e a tomada de decisões estratégicas que servirão de indicação dos caminhos a serem seguidos, mas também o gerenciamento de operações e recursos, além da interface entre o Conselho Administrativo (podendo, inclusive, ter um assento neste) e as operações.

Cabe a ele também:

  • Possuir uma visão sistêmica da empresa e experiência em outras funções para tomar decisões mais assertivas que beneficiem a organização como um todo;
  • Avaliar o sucesso e a competitividade da empresa com base em indicadores de Lucratividade e Rentabilidade, usando de Fluxos de Caixa, DREs, Balanço Patrimonial, entre outros analisados anteriormente pelo Controller, mas também observando e se comparando com os seus pares e mercado;
  • Desenvolver e implementar a visão e a missão da empresa, estabelecendo uma cultura organizacional compatível;
  • Direcionar CFOs, COOs e outros diretores, dentre diversas outras atribuições.

CFOCFO fazendo cálculos relativos às finanças da empresa

O CEO não trabalha sozinho e precisa de auxílio para manter a empresa financeiramente saudável visando, assim, que ela permaneça no longo prazo. Esse é o papel do CFO (Chief Financial Officer) ou Diretor Financeiro, cargo almejado por muitos controllers. Inclusive se esse for o seu caso, não deixe de ler “Transição de Controller para CFO” para atingir esse objetivo.

Cabe a este profissional controlar o passado, o presente e o futuro financeiro da empresa, analisando o motivo por trás dos relatórios financeiros, a atual situação e as possíveis previsões futuras, se atendando a oportunidades e riscos para garantir lucratividade. Seu trabalho é realizado com base nas informações que são geradas e consolidadas pelo Controller.

Suas funções contemplam:

  • Garantir que o orçamento esteja conforme o planejamento estratégico e financeiro, controlando e administrando os recursos;
  • Comandar e supervisionar todas as operações financeiras da empresa, principalmente contabilidade e relatórios para que estes estejam em conformidade com a lei;
  • Tomar decisões estratégicas relacionadas ao financeiro da empresa, analisando o ambiente em longo prazo e fornecendo informações para a tomada de decisão de CEOs;
  • Interagir com outras áreas e, principalmente, com outros diretores;
  • Supervisionar o capital da empresa;
  • Cuidar dos investimentos, estudando riscos, oportunidades e liquidez;
  • Estabelecer medidas para otimizar o fluxo de caixa;
  • Analisar e revisar dados, além de gerir informações;
  • Preparar e monitorar metas, orçamentos, gastos e custos;
  • Gerar relatórios financeiros precisos que garantem a credibilidade da empresa, tanto para si mesma, como para agentes externos.

COOCOO coordenando as operações da empresa com os demais funcionários

 Talvez, das três siglas, essa seja a menos utilizada e conhecida, mas possui a mesma importância, mesmo que não esteja presente em todas as organizações ou tenha suas funções executadas pelo CEO. COO é o acrônimo para Chief Operating Officer, ou seja, Diretor de Operações. Este é o profissional que coordena mais de perto as rotinas operacionais, as atividades e o negócio da empresa, reportando para o CEO e atuando como braço direito para suas decisões, juntamente com o CFO. Acompanha não só as atividades mais importantes para o funcionamento da empresa, como também, projetos e processos da mesma.

 É de sua responsabilidade passar a estratégia definida aos funcionários, além de planejar, direcionar, implementar e avaliar práticas que os direcionam e orientam, para que os objetivos empresariais sejam garantidos na operação. Ao cuidar mais de perto da parte operacional, o COO permite que o CEO tenha mais tempo para lidar com as questões estratégicas da empresa, o que é essencial para empresas de maior porte e mais complexas.

Além disso, suas demais funções são:

  • Garantir a eficiência, eficácia, qualidade e produtividades das operações externas e internas, com base em métricas e indicadores;
  • Gerenciar recursos da operação;
  • Ajudar nos processos de melhoria das operações e nas estratégias de crescimento;
  • Definir objetivos e metas para as operações em consonância com o planejamento estratégico, liderando pelo exemplo, inspirando e motivando a equipe a alcançá-los;
  • Apresentar novas ideias aos demais diretores.

Restou alguma dúvida? Entre em contato conosco!

 

Conteúdos relacionados:

Transição de Controller para CFO

Dicas para você se destacar como Controller

Conheça a importância do Fluxo de Caixa na gestão de uma empresa

O que é a DRE?

10 passos para montar um fluxo de caixa

Análise de riscos do seu negócio

Controladoria Estratégica: o que é, como e por que implantar