Stock option

Stock option é uma forma de remuneração que busca aumentar a produtividade, o foco e o comprometimento de funcionários, principalmente os de alto escalão de uma empresa. Na prática, os pagamentos são variáveis e fazem parte dos chamados Incentivo de Longo Prazo (ILP).

Funciona como opção aos colaboradores para a compra de ações da própria empresa, em geral com valores abaixo dos praticados pela Bolsa de Valores.

O colaborador, no momento em que compra a carteira de ações, passa a ser dono de um “pedaço” da corporação e, assim, tem um incentivo extra para seguir cumprindo bem o seu papel.

A prática é bastante comum em empresas multinacionais e muitos empresários do Brasil estão começando a adotar esta prática também por aqui, por isso há a necessidade de conhecer melhor o conceito e preparar-se para a expansão empresarial tão esperada.

 

O que é stock option e como se aplica

Hoje é normal que empresas tenham executivos profissionais em cargos que antigamente eram ocupados pelos proprietários e seus familiares. Essa dinâmica, uma hora ou outra, pode colocar em rota de colisão os donos do capital (os acionistas) e aqueles que efetivamente administram os negócios.

O Employee Stock Options Plans, ou em bom português, o Plano de Opção de Compra de Ações foi criado como uma ferramenta para minimizar este tipo de conflito, uma vez que o colaborador, a partir do momento em que faz a opção pela compra das ações, tem a remuneração atrelada ao desempenho da empresa. O conceito vale para empresas tradicionais, mas também vem se tornando comum o stock option em startups.

No início deste artigo citamos que este tipo de pagamento é normalmente feito para funcionários de alto cargo, mas isso não é regra. Uma empresa mais ousada pode optar por abrir este plano também para outros funcionários.

Para poder exercer o direito de compra das ações, o beneficiário precisa cumprir algumas condições pré-estabelecidas de carência, como tempo de casa e desempenho. Este conceito é chamado de vesting.

Outro detalhe importante é que a compra das ações é uma opção. Isto é, o colaborador recebe a possibilidade de fazer a compra das ações por um bom preço sem que haja a obrigatoriedade para isso.

Vantagens do stock option

-Gera maior engajamento – Uma vez que o colaborador passa a ter sua remuneração atrelada ao resultado, espera-se que ele se envolva cada vez mais com as atividades da empresa.

-Retenção de talentos – A rotatividade de funcionários muito alta atrapalha qualquer equipe. Quando há maior engajamento é normal que a empresa ganhe uma maior capacidade de retenção dos talentos que ali estão;

-Menor gargalo no RH – Processos de seleção são complicados, exigem recursos e bastante tempo dos funcionários, em especial do departamento de Recursos Humanos. Quando a empresa aumenta a retenção de talentos, há menor demanda deste processo.

-Sinergia entre acionistas e direção – A direção que adere a um plano de compra de ações naturalmente terá um olhar mais alinhado ao dos acionistas sobre as rotas que a empresa está tomando.

-Expansão empresarial – Colaboradores mais engajados, com menor rotatividade e mais atentos ao desempenho individual e coletivo, em sinergia com os acionistas são uma receita poderosa para melhores resultados e para a tão sonhada expansão empresarial.

Desvantagens do stock option

-Falta de legislação específica – O conceito é relativamente novo no Brasil e começou a ser aplicado a partir da década de 1990. Apesar de grandes empresas já usarem o stock option, ainda não temos uma legislação específica. Em geral é usada a Lei das Sociedades Anônimas, mas detalhes podem variar no modelo de cada empresa.

-Regras de tributação ainda não são claras – Na falta de uma regulamentação específica, não há ainda um consenso de como deve ser feita a tributação sobre este tipo de pagamento variável.

-Risco de desvalorização – Uma empresa com mau desempenho vai inevitavelmente sofrer uma desvalorização e quando o colaborador tem ações, terá a sua remuneração reduzida. Isso pode ser um elemento causador de stress e, em vez de gerar motivação, pode terminar em descontentamento da equipe.

No início deste artigo foi dito que o Stock option é uma forma de remuneração que faz parte dos chamados Incentivo de Longo Prazo (ILP). Ou seja, há outros conceitos similares que podem ser adotados pelas empresas com resultados semelhantes. Conheça algumas das principais opções:

 

Outros conceitos similares

Plano de Ações Restritas (Restricted Shares)

É bem parecido com o stock option, contudo, o beneficiário não precisa pagar pelas ações. Ele as recebe no momento em que as condições pré-estabelecidas de carência forem cumpridas.

Planos de Opções Fantasmas – SAR (Share Appreciation Rights ou Phantom Options)

Também é um plano bastante parecido com o stock option, mas desta vez a diferença é a maneira como o beneficiário recebe. Em vez da simples transferência das ações, o resgate no caso das opções fantasmas é feito em dinheiro. É como se ele recebesse por uma ação que, na verdade, ele não possui.

Ações Fantasmas (Phantom Shares)

É similar ao Plano de Ações Restritas, mas em vez de resgatar as ações, o beneficiário resgata dinheiro. Em outras palavras, a empresa paga um determinado valor que corresponde ao valor da ação multiplicado pelo número de Ações Fantasmas outorgadas.

Bônus Diferido (Staying Bonus)

É um plano que não está exclusivamente ligado à flutuação do valor das ações. Neste caso o beneficiário recebe uma quantia pré-definida ou um valor corrigido pela inflação ou algum outro índice financeiro previamente definido.

 

Sua empresa tem alguma experiência relacionada ao stock option ou algum outro ILP? Entre em contato com o Blog da Investor e vamos crescer juntos!

 

Conteúdos Relacionados

 

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *