Etiqueta patrimonial

Uma etiqueta patrimonial, ou de identificação patrimonial, tem o objetivo de auxilar o controle dos ativos fixos e físicos de uma empresa. Facilitam a localização e o inventário de:

  • computadores;
  • equipamentos;
  • móveis;
  • ferramentas;
  • aparelhos elétricos, entre outros materiais que pertencem à organização.

A etiqueta patrimonial pode ser fabricada de forma customizada, com diversas medidas, formatos, cores, materiais e fixações.

Possuem numeração sequencial de 1 a “n”, tanto numérica quanto em códigos de barra.

É importante que sejam resistentes às condições do meio onde serão afixadas.

A escolha do material correto na fabricação da etiqueta de inventário físico resultará em maior durabilidade das mesmas e consequentemente maior confiabilidade na gestão patrimonial.

Etiqueta patrimonialEtiqueta patrimonial: controle de inventário

O inventário patrimonial de ativos imobilizados é realizado por meio do processo de relação entre os bens e suas características técnicas, como:

  • marca;
  • quantidades;
  • local em que se encontram.

Entre as principais vantagens de realizar um bom inventário estão:

  • aumento da proteção ao patrimônio;
  • redução de furtos;
  • conhecimento do real valor dos ativos da empresa;
  • aumento da vida útil dos bens;
  • diminuição dos custos com manutenção;
  • diminuição de desperdícios com compras desnecessárias, entre outros.

Na etapa de levantamento de bens patrimoniais, no momento da realização do inventário, é que acontece o emplaquetamento dos ativos fixos.

A utilização da etiqueta patrimonial, apesar de não ser obrigatória, gera benefícios para a empresa, como:

  • identificação visual;
  • reconhecimento pela numeração única;
  • redução dos prazos em inventários futuros;
  • auxílio na etapa de conciliação físico x contábil;
  • funcionando como um sistema de controle patrimonial.

Dessa forma, as etiquetas patrimoniais, ao assessorarem no processo de realização do inventário, contribuem para o controle do ativo físico da empresa, fornecendo informações e identificação sobre os ativos imobilizados.

Tudo isso facilita o reconhecimento destes e traz a série de vantagens, mencionadas anteriormente.

Exemplos de etiquetas de inventário físico

  • Placas patrimoniais de alumínio

As etiquetas patrimoniais feitas de alumínio são as mais utilizadas no mercado, devido ao seu melhor custo x benefício.

A resistência da etiqueta é alta, porém não tanto quanto as de aço inox. Elas possuem baixa flexibilidade, não indicadas para afixação em superfícies curvas.

  • Placas patrimoniais de aço inox

As placas de identificação patrimonial feitas em aço inox são as que apresentam maior resistência, sendo indicadas para ambientes agressivos (locais sujeitos a ataques químicos, altas temperaturas, corrosão, etc).

Por ser uma solução de maior custo, requer um estudo mais assertivo no dimensionamento do número de etiquetas a ser solicitado.

  • Placas patrimoniais de poliéster/BOPP

As etiquetas patrimoniais feitas de policarbonato são as mais flexíveis, sendo ideais para superfícies curvas.

Por ser a opção que apresenta menor resistência, são indicadas para ambientes de baixa agressividade, como escritórios e locais de acesso restrito.

etiquetas patrimoniais

  • Placas patrimoniais com Radio Frequency Identification

A RFID (Radio Frequency Identification) é uma tecnologia de identificação por sinais de rádio.

A etiqueta de RFID utiliza transponders que permite a identificação do bem e transmite informações deste ao passar por um campo eletromagnético do leitor.

Ela é composta, basicamente, pelo chip e antena, sendo o chip a parte mais importante, por armazenar os dados que serão enviados ao leitor.

Seu benefício está na possibilidade de permitir que uma etiqueta de ativo fixo seja lida sem contato visual e físico. Isso facilita e agiliza o sistema de controle patrimonial.

Além disso, com esse tipo de tecnologia de processos gerenciais é possível eliminar as tarefas do processo de controle patrimonial, visto que o monitoramento ocorre automaticamente.

Isso também possibilita reduzir o número de funcionários responsáveis por atividades de controle e identificação patrimonial física dos bens.

Por fim, as etiquetas de RFID aumentam a segurança dos bens e têm maior durabilidade.

Vantagens da utilização das etiquetas patrimoniais

Entre as vantagens da utilização da etiqueta patrimonial para controle e identificação do inventário físico de uma empresa, podemos listar como principais:

etiquetas patrimoniais

  • indicar visualmente o controle da entidade sobre seus ativos;
  • auxiliar na etapa de conciliação físico x contábil;
  • contabilizar os ativos imobilizados;
  • reduzir prazos em inventários futuros;
  • aumentar a qualidade e confiabilidade das informações;
  • reduzir custo da empresa no processo de controle patrimonial;
  • proteger os bens de furtos e desvios.

Muito além do que apenas uma listagem atualizada de bens, as etiquetas de inventário físico e a realização do controle de bens patrimoniais pode ser um aliado na tomada de decisões estratégicas por parte dos gestores.

Dessa forma, o uso de etiqueta patrimonial nos ativos imobilizados deve ser feito da melhor maneira, escolhendo corretamente as diversas variáveis, como material, valor e tecnologia.

Leia também: Principais erros no inventário físico de bens patrimoniais

A Investor possui inventariantes experientes e bem treinados, além de um aplicativo exclusivo para automatizar o inventário de sua empresa, bem como as informações geradas.

Solicite um orçamento para fazer o emplaquetamento dos ativos de sua empresa!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *