o-que-sao-ativos-de-uma-empresa

O que são ativos de uma empresa? Entender esse conceito é essencial para uma boa administração, bem como para a geração de caixa e lucro em diferentes âmbitos.

Muitas pessoas acreditam que esses ativos são semelhantes em suas características, e até são. No entanto, saber distingui-los é extremamente importante para o sucesso financeiro de uma empresa.

Neste artigo vamos explicar o que são ativos de uma empresa e suas diversas classificações: Ativo Circulante, Ativo Não Circulante, Ativo Realizável a Longo Prazo, Investimento, Ativo Imobilizado e Ativo Intangível.

 

O que são ativos de uma empresa?

Ativos de uma empresa são os bens e direitos que uma empresa possui e que podem ser convertidos em meios monetários, proporcionando ganhos. Por bens, conhecemos: o dinheiro em caixa, móveis e imóveis, maquinários, estoque de mercadoria. Já por direitos, conhecemos as dívidas a receber.

Os ativos fazem parte das Contas Patrimoniais, sendo encontrados no lado positivo do Balanço Patrimonial. Eles são classificados em ordem decrescente do grau de liquidez. E o que isso significa? Os ativos começam com aqueles que podem ser convertidos mais rapidamente em dinheiro.

Além desse recurso ser propriedade de uma organização e mensurável monetariamente, para reconhecê-lo, é necessário identificar duas atividades em sua essência: serem resultados de transações passadas e gerar benefício econômico futuro.

Um ativo precisa ser resultado de uma transação passada, isso quer dizer ter sido adquirido, na maioria dos casos, por meio de uma compra ou pela sua produção.

Existem outros casos em que há transação, mas não necessariamente dessa maneira, como é o caso do recebimento de doações.

Um ativo deve também prover benefício econômico, portanto deve ter potencial para contribuir com o fluxo de caixa de uma empresa, de forma direta ou indireta. Em outras palavras, significa que o recurso deve produzir lucro.

Existem atividades relacionadas que são capazes de prover tais benefícios para que os ativos gerem mais recursos financeiros e econômicos. Temos como exemplo:

– uso na produção de bens ou serviços;
– troca por outros ativos;
– uso para redução de um passivo ou distribuídos aos proprietários da organização.

 

Tipos de classificação do ativo na contabilidade

Ativo Circulante

Os ativos circulantes são aqueles que possuem maior liquidez, ou seja, podem ser convertidos em meios monetários mais rapidamente. Também chamados de capital de giro.

Vale ressaltar que as empresas que possuem maior geração de caixa e de capital de giro tendem a honrar seus compromissos nos prazos. Além disso, possuem potencial de maximizar seus recursos econômicos gerando novos.

São exemplos de ativos circulantes:

– Dinheiro em caixa,
– Conta movimento em banco,
– Aplicações financeiras,
– Contas a receber,
– Estoques,
– Produtos inacabados,
– Despesas antecipadas,
– Reservas de caixa,
– Depósito bancário à vista,
– Mercadorias,
– Matérias-primas,
– Investimentos de curto prazo e
– Títulos a receber.

Para ser caracterizado como ativo circulante, é necessário seguir os seguintes critérios: a conversão em meio monetário deve ser realizada até 12 meses após a data do balanço ou ao longo do ciclo operacional da empresa; tenha como propósito ser negociado; e que seja caixa ou equivalente de caixa.

Categorias e classificação

Os ativos circulantes se dividem em três categorias para melhor compreensão da origem dos recursos da empresa:

1- Ativo Circulante Operacional: está relacionado às etapas operacionais da empresa, sendo primordial para seu funcionamento. Exemplo: estoque.

2- Ativo Circulante Líquido: recursos adquiridos em determinado período a partir de suas atividades ou de aplicações financeiras. Exemplo: ações e títulos públicos.

3- Ativo Circulante Cíclico: refere-se ao que é de rotina da empresa, muitas das vezes ligado ao seu funcionamento também. Exemplo: adiantamentos a fornecedores.

Além disso, há ainda outro tipo de classificação. É preciso entender qual tipo de conta compõe cada categoria, pois elas dividem-se em:

– Disponibilidades: dinheiro em conta que está disponível para uso a qualquer momento. É o tipo de ativo com maior liquidez entre todos. Exemplo: conta corrente e depósitos à vista.
– Créditos: são ganhos da empresa, mas que a empresa não possui acesso imediato. Alguns exemplos deles são duplicatas, títulos e juros a receber.
– Estoque: tudo que a empresa possui armazenado e ainda não foi comercializado, mas pode vir a ser. Isso significa que pode ser transformado em dinheiro rapidamente, por isso faz parte do ativo circulante.

A importância de se analisar o Ativo Circulante é tamanha que falhas no processo podem ser determinantes e criar problemas financeiros à empresa. Como ele representa os bens e direitos de curto prazo, esse tipo de ativo está diretamente ligado à liquidez da empresa.

Para obtê-la, utilizamos o indicador de liquidez corrente.

Liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante

Valor maior que 1 é considerado bom, pois significa que a empresa está apta a cumprir com as obrigações no curto prazo. Já se for menor, é considerado ruim, afinal, a organização pode ter problemas para cumprir suas obrigações.

Ativo não circulante

Os ativos não circulantes são aqueles de permanência duradoura em uma empresa, sendo responsáveis pelo funcionamento normal da organização.

Esse tipo de ativo permanece em uma entidade além do tempo de exercício social, já que sua liquidez é menor. Assim, eles representam os recursos que levarão mais tempo para serem utilizados.

Os ativos não circulantes podem ser dividido em quatro grupos:

1- Realizável a longo prazo
2- Investimentos
3- Imobilizado
4- Intangível

Cada um deles será explicado mais detalhadamente a seguir.

Ativo Realizável a longo prazo

São da mesma natureza do Ativo Circulante, porém, como o próprio nome já diz, os Ativos Realizáveis a longo prazo são referentes aos bens e direitos da empresa cujas realizações se darão no longo prazo, ou seja, após o término do exercício social.

Além desse fator, as contas de direitos sem prazo de vencimento também fazem parte do grupo de ativos realizáveis a longo prazo. Afinal, na contabilidade, quando não há determinação do tempo de vencimento significa que ele é de longa duração.

São exemplos deste tipo de ativo de uma empresa: aplicações financeiras de longo prazo, depósitos bancários a longo prazo, duplicatas a receber de longo prazo, despesas antecipadas de longo prazo, empréstimos, adiantamentos ou vendas, empréstimo compulsório, entre outros.

Investimentos

Os Investimentos como subgrupo do ativo não circulante se classificam como participações e aplicações societárias permanentes. Eles têm como objetivo gerar rendimento para a empresa, desde que esses bens e direitos não se destinem à manutenção das atividades de uma organização.

Os exemplos desse subgrupo podem ser definidos como: obras de arte, investimento em ouro, propriedades para investimento, terrenos e imóveis para futura utilização, investimentos em coligadas, participações em outras empresas, entre outros.

Imobilizado

O que é ativo imobilizado? Bom, ativo imobilizado são os bens e direitos de natureza permanente responsáveis pela manutenção das atividades normais de uma empresa. Eles são bens corpóreos ou tangíveis, como também são chamados.

Existem quatro requisitos para se definir um ativo imobilizado:

– ser mantido por uma organização para uso na produção ou comercialização de mercadorias ou serviços, locação ou finalidades administrativas;
– ser usado por mais de doze meses;
– gerar benefícios econômicos para a organização;
– ser possível de ser mensurado.

Podemos citar como exemplos de ativo imobilizado: imóveis, terrenos, edificações, máquinas e equipamentos, móveis e utensílios, veículos, ferramentas, entre outros.

tipos-ativos-contabilidade

Intangível

Os ativos intangíveis são bens incorpóreos. Diferentemente do ativo imobilizado, eles não são capazes de serem vistos ou tocados, não têm existência física. Eles são destinados à manutenção das atividades de uma empresa ou exercidos com essa finalidade.

Apesar de não possuírem caráter físico, os ativos intangíveis têm valor econômico e contábil. Um ativo intangível só é reconhecido contabilmente se os benefícios que este gerar futuramente sejam em favor da organização, e se for possível mensurar o custo do ativo.

São exemplos de ativos intangíveis: softwares, fundo de comércio adquirido, marcas, patentes, direitos de exploração de serviços públicos, licenças, direitos autorais, entre outros.

Dica: Para saber mais sobre ativos intangíveis, como avaliá-los e fazer o correto tratamento contábil, assista este webinar sobre o assunto.

 

Relação entre ativos, passivos e patrimônio líquido

Quando falamos em Balanço Patrimonial, estamos nos referindo a uma das demonstrações financeiras mais importantes de uma empresa. Ele é composto por ativos, que falamos extensamente neste artigo, passivos e patrimônio líquido.

O Balanço Patrimonial deve ser emitido, obrigatoriamente, uma vez ao ano, sempre após seu encerramento. Por meio dele, tem-se uma análise da saúde financeira e da situação patrimonial da empresa.

Agora, vamos lá! Já sabemos que ativos são todos os bens e direitos da empresa. E os  passivos? São as obrigações a serem pagas a terceiros, como bancos, parceiros, fornecedores e colaboradores. Eles dividem-se entre circulantes, com pagamento no curto prazo, e não circulantes, que serão pagos no próximo ano em diante.

Para fins contábeis, localizam-se no lado esquerdo do Balanço.

São exemplos de passivos:

– contas a pagar
– folha de pagamentos
– taxas, impostos e obrigações sociais
– distribuição de lucro
– empréstimos e financiamentos

Por último, temos o patrimônio líquido, que é obtido por meio da subtração de ativos e passivos. Ele representa as obrigações da empresa com ela mesma e, por isso, encontra-se do lado direito do Balanço Patrimonial.

Patrimônio Líquido = Ativos – Passivos

 

Conclusão

Entender o que são os ativos e quais os seus tipos é fundamental para cumprir com as obrigações contábeis. Eles compõem o Balanço Patrimonial, que é usado para análise gerencial e de desempenho, possibilitando enxergar o potencial de geração de lucro da empresa. Portanto, conhecimento imprescindível para qualquer negócio!

Entretanto, a classificação dos ativos de uma empresa em ativo circulante, imobilizado, intangível, dentre outros, pode ser uma tarefa complicada e que exige profissionais competentes que saibam as características e exigências contábeis e fiscais para cada ativo, de forma a registrar tudo corretamente e evita problemas futuros. Afinal, cometer erros nessas questões pode levar a incidência de multas pesadas e manchar a reputação da empresa perante parceiros de negócio.

A Investor conta com uma equipe especializada em avaliações com foco no sucesso dos negócios. A experiência e seriedade no serviço, aliados à equipamentos de ponta, permitem a entrega de resultados precisos, eficientes e com agilidade. Saiba mais sobre nossos serviços clicando no botão abaixo.

Conheça os serviços prestados pela Investor!

.

Conteúdos Relacionados

 

4 Comentários

  • raimundo nonato correa da silva Responder

    10 de agosto de 2019 at 13:53.

    Excelente explanação, muito proveitosa. Parabéns!

    • Investor Responder

      26 de agosto de 2019 at 13:31.

      Ei Raimundo, que bom que gostou. Obrigado pelo feedback! Abraços

  • raimundo nonato correa da silva Responder

    10 de agosto de 2019 at 13:55.

    Muito proveitosa a matéria, gostei muito e muito me serviu. Parabéns!

    • Investor Responder

      26 de agosto de 2019 at 13:32.

      Ei Raimundo, ficamos felizes que tenha aproveitado deste conteúdo. Estamos sempre à disposição! Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *