especialistas-elaborando-o-laudo-de-ativos-fixos

Muitas vezes, as empresas acabam deixando de lado o controle patrimonial, seja por falta de tempo, negligência ou por não conhecer a importância dessa atividade. Porém, para que haja uma gestão eficiente, avaliar os ativos imobilizados é essencial. Para isso, é necessário elaborar um laudo de avaliação de ativos fixos.

Continue com a leitura do artigo para conhecer o que são ativos fixos e qual a importância de realizar o inventário e a avaliação dos mesmos, bem como de elaborar laudos.

Você sabe o que ativo fixo significa?

Gerir um negócio requer inúmeros conhecimentos relacionados à dinâmica empresarial. Alguns termos financeiros são muito utilizados e passam a fazer parte do dia a dia dos empreendedores, como, ativo fixo. Ter um conhecimento pleno desta expressão e saber as implicações em torno dela é indispensável para uma gestão de qualidade.

Ativo fixo, também conhecido como ativo imobilizado, está relacionado aos bens e direitos permanentes de uma instituição, ou seja, não são passíveis de venda a curto e médio prazo. Como são bens que dificilmente podem ser convertidos em dinheiro de forma imediata, também são chamados de bens patrimoniais. Tais patrimônios são necessários e utilizados na produção e comercialização de serviços e mercadorias, como máquinas, veículos, prédios e edifícios.

Seguindo os critérios de avaliação patrimonial, os ativos imobilizados devem ser constantemente avaliados, para identificar o desgaste e a depreciação no valor destes, e analisar a necessidade de reposição ou reedição no destino.

Continue acompanhando este artigo e entenda como são feitos o inventário e a avaliação dos ativos fixos, as vantagens envolvidas nesses processos e como divulgar as informações obtidas em um laudo técnico.

O que é um inventário patrimonial?laudo-avaliacao-ativos-fixos

Inventário patrimonial é o processo de estabelecer uma relação entre bens e suas características técnicas como marca, modelo, capacidade, quantidade, estado de conservação e local em que se encontram. Tal inventário é aplicado aos ativos imobilizados da empresa.

É este o processo em que ocorre levantamento dos bens, identificação de suas características técnicas, descrição completa e identificação da localização dos respectivos ativos. Após realizar o inventário, é indicado o emplaquetamento dos bens através de etiquetas patrimoniais e o registro fotográfico, como também, a avaliação patrimonial que veremos posteriormente.

Um levantamento bem realizado gera para a empresa informações corretas e precisas, localizações fidedignas e tomadas de decisões mais assertivas e embasadas.

Além disso, as vantagens do inventário patrimonial consistem em controlar e proteger o patrimônio, aumentar a vida útil dos bens, diminuir os custos com manutenção, conhecer o real valor dos ativos, higienizar, organizar e atualizar a base de dados, otimizar os processos de compra aumentar o retorno sobre ativos, atender às auditorias e às normas contábeis vigentes.

Para te auxiliar, baixe aqui o Laudo Modelo de Inventário de Bens do Ativo Imobilizado.

Como realizar a avaliação de Ativos Fixos

Nesta etapa, ocorre a avaliação do valor justo dos ativos, com o objetivo de determinar os valores reais e atuais de todos os bens da empresa, bem como coletar informações com maior detalhamento.

Para realizar a avaliação de ativos fixos, deve-se levar em consideração o meio em que o bem se encontra e analisar como ele será afetado pelo ambiente. Logicamente, é necessário um conhecimento técnico prévio do bem avaliado e provas documentais, como: plantas, layouts, fluxogramas e documentos dominiais.

A primeira tarefa do engenheiro de avaliações é realizar a vistoria. Nesta ocasião, faz-se a caracterização completa e identificação fotográfica do bem, incluindo seus componentes, acessórios, painéis e acionamentos.

Logo após, é observado o funcionamento do bem e suas condições de produção, eficiência e manutenção. São coletados também dados sobre o mercado para definir o valor de reedição, como: cotação direta do bem novo no fabricante, para a mesma especificação, informações e condições de fornecimento  Por último, é definida a taxa de depreciação.

Para o cálculo da taxa de depreciação, estuda-se a vida útil econômica do bem, sua idade aparente e estado de conservação. Essa taxa será aplicada sobre o valor justo do bem, descontando o valor residual.

Para a definição do valor justo, geralmente utiliza-se o Método Comparativo de Dados de Mercado, no qual o valor do bem é definido pela comparação com dados de mercado semelhantes. Procuram-se referências de vendas e aluguéis de propriedades ou bens comparáveis e atualiza-se os preços dos valores dos bens tomados como referência, considerando a época de transação. Então, a comparação é feita por meio de tratamento técnico dos elementos constituintes da amostra.

Após avaliar os ativos e encontrar o valor justo, realizar a revisão das vidas úteis e determinar as novas taxas de depreciação, também é fundamental fazer o Teste de Impairment para verificar o valor de seus ativos, reconhecer se estão desvalorizados e contabilizar o que for necessário.

Vantagens da Avaliação de Ativos Fixos

A avaliação dos ativos fixos reflete seu valor justo em uma data de referência. Normalmente, este valor de mercado não é equivalente ao valor contábil, e isso pode ocorrer devido a operações de câmbio na data da compra, ou por depreciação do ativo, por exemplo. Estas e outras informações são compiladas em um laudo e é possível obter mais benefícios através da sua realização, tais como:

– Conhecimento adequado sobre os bens para auxiliar nas decisões estratégicas;

– Identificação dos sistemas que podem gerar valorização ou desvalorização;

– Previsão com relação à viabilidade de investimentos futuros, como aquisição de bens;

– Facilidade na negociação de bens, uma vez que os parâmetros de valor estão embasados em um laudo e atualizados;

– Indicação sobre o posicionamento do bem no mercado, com relação a valores acima ou abaixo da média;

– Segurança na atualização de ativos imobiliários, uma vez que a depreciação é minuciosamente analisada;

– Cumprimento de exigências fiscais.

Laudo técnico de avaliação de ativos fixoslaudo-ativos-fixos

A avaliação dos ativos fixos deve ser apresentada de maneira clara e objetiva no documento oficial resultante de uma avaliação (laudo técnico). Este documento deve conter:

– Identificação do solicitante;

– Finalidade do laudo;

– Tipo de avaliação;

– Grau de agregação da avaliação;

– Identificação e caracterização do bem avaliado;

– Diagnóstico de mercado;

– Indicação da metodologia utilizada;

– Tratamento dos dados e identificação dos resultados;

– Especificação da avaliação;

– Resultado da avaliação e data de referência;

– Qualificação completa e assinatura dos profissionais responsáveis.

A apresentação das informações em um laudo técnico dá credibilidade à avaliação, uma vez que ele só pode ser emitido por um engenheiro de avaliações. Este profissional apresenta vastos conhecimentos teóricos e práticos para realizar uma análise minuciosa dos ativos de sua empresa e, por isso, é a pessoa adequada para realizar tais processos.

Investor conta com uma equipe especializada em avaliações com foco no sucesso dos negócios. A experiência e seriedade no serviço, aliados à equipamentos de ponta, permitem a entrega de resultados precisos, eficientes e com agilidade.

Solicite um orçamento para fazer a avaliação dos ativos fixos de sua empresa!

 

Conteúdos Relacionados:

Laudo Modelo de Inventário de Bens do Ativo Imobilizado

Inventário Patrimonial: o que é, como fazer e os benefícios desse relatório

Controle do Ativo Imobilizado: como é feito e sua importância

 

 

 

 

 

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *